quinta-feira, 31 de março de 2011


Todo dente de cobra tem um rótulo

Every snack's teeth has a label



Amazônia

Quando o bicho não é da seda
Uma rede é tecida na floresta
O vento passa junto com o orvalho
O círculo não se fecha...
O veneno é solução de laboratório
Engarrafado que nem saci
Todo dente de cobra tem um rótulo
O sapo que mata engole os mistérios
O chefe é o homem da mata
E a natureza retira e deixa o extrato
Decomposição vira colher destilada
E as sílfides na leveza do ar
Espiam pelo funil o labor do planalto.

Claudia Almeida
31/03/2011
imagem google

Nenhum comentário:

Postar um comentário